Resenha: Temporada de acidentes – Moïra Fowley-Doyle

0
640

Olá leitores do Sobre Livros! Hoje quero conversar com vocês sobre a publicação da editora Intrínseca intitulado Temporada de Acidentes. Amei a premissa do livro, e assim que ouvi a equipe da editora apresentando o livro na Turnê Intrínseca não resisti e apressei a leitura.

Este é o primeiro livro da autora Moira Fowley-Doyle, que é metade francesa e metade irlandesa. Mora em Dublin com o marido, duas filhas pequenas e um gato.

Temporada de Acidentes começa com uma constatação perturbadora: Cara percebe que em todas as suas fotos aparecem uma garota de sua escola, Elsie. Essas aparições são bizarras, pois até mesmo fotos de viagens com a família Cara consegue distinguir o cabelo ou braço de Elsie nas fotos.

E como bizarrice sempre atrai mais bizarrice, saiba que a família de Cara não é assim tão normal… Todo ano, durante um mês, toda a família passa pelo que eles chamam de Temporada de Acidentes. A irmã mais velha, Alice, pode até não acreditar, mas é fato que todo ano acidentes estranhíssimos acometem todos os membros da família. Esses são dias de cuidado redobrado, mas todos já sabem que vão sair desse mês com algum machucado. Nas piores temporadas, eles acabam perdendo algum ente querido.

A família está passando por essa Temporada quando o livro se inicia, e na noite anterior além de Cara descobrir Elsie em todas as suas fotos, Alice caiu da escada. A mãe delas, Melanie, está muito preocupada com todos, mas os leva de carro até a escola.

Nesse momento também conhecemos o irmão do “meio”, Sam. Ele não é irmão consanguíneo delas, ele é filho de um ex-marido de Melanie. Seu pai saiu de casa há uns anos e não retornou para buscar o filho. Essa situação é muito dolorosa para Sam, mas ele se firma no amor que sente pelas irmãs e madrasta.

Uma personagem que não posso deixar de apresentar é a Bea. Santo Deus, ela é hilária! Ela é a melhor amiga de Cara, e junto com Sam e Alice formam um quarteto de amizade muito interessante. Bea é dona de uma personalidade forte, com a auto estima lá em cima!

Quando chegam a escola, Cara procura Bea para mostrar as fotos com a Elsie. Bea é daquelas amigas que super apoiam as loucuras alheias, então elas decidem encontrar Elsie para conversar e entendem toda a situação.

Mas o que acontece é que elas não a encontram no primeiro dia. Cara conhece Elsie do período posterior a morte de seu pai, quando Cara precisava de uma amiga para se reerguer. Depois disso as duas foram se afastando e Cara via Elsie muito vagamente durante o intervalo das aulas com sua caixa de segredos.

Esse é outro detalhe que não posso deixar de mencionar. Adorei a ideia da caixa de segredos. Elsie tem um espaço na biblioteca em que disponibiliza para os alunos uma máquina de escrever em que eles podem escrever seus segredos e guardar em uma caixa. Esses segredos não assinados depois são expostos pelos corredores da escola, possibilitando uma espécie de libertação coletiva.

O caso é que ninguém repara na dona da caixa. Todas as pessoas que Cara e Bea questionam sobre onde anda Elsie respondem que não lembram quem ela é. Ninguém dá importância no sumiço da garota. A falta de atenção sobre uma estudante é no mínimo estranho…

Cara, Bea, Sam e Alice terão pela frente muito trabalho para compreender toda essa história e descobrir quem Elsie é. Essa é uma viagem intensa, em que o leitor é seduzido a compreender todos os meandres do enredo.

Achei a capa do livro incrível – um primeiro olhar mostra uma garota caindo, mas que se reparar bem verá que a grama está na verdade no topo, invertendo a posição do céu. A edição da Intrínseca está ótima, não vi nenhum problema na revisão. Sempre espero fontes maiores…

Comecei a leitura imaginando que esta seria uma história fantástica, e apesar de ter alguns elementos fantásticos, acredito que a tensão familiar brilha mais. Esse é o ponto forte do livro: refletir sobre os relacionamentos familiares e como eles são importantes na definição de cada membro.

A autora apresenta questão fortes que abalam o leitor. Então indico a leitura para aqueles que gostam de uma história com pitadas de fantasia, mas que propõe algo mais intenso, uma discussão sobre questões familiares. E tem um pouquinho de romance também, mas aí deixo a surpresa para quem ler o livro. Boa leitura!

COMENTAR