A vilã | Um filme recheado de ação e sangue

0
631

Olá, leitores! Com distribuição da Paris Filmes e dos mesmos produtores de Invasão Zumbi, chega ao Brasil, na próxima quinta-feira (23), o filme sul-coreano A vilã.

Ficha técnica:

Título original: Ak-nyeo

Distribuidora: Paris Filmes

Direção e roteiro:Byeong-gil Jeong

Elenco:Ok-Bim Kim, Shin Ha-kyun

Quem me conhece sabe que eu curto um bocado a cultura sul-coreana, seja a música, os doramas ou os filmes, e acho muito válida a campanha cada vez maior para trazer essa cultura até os brasileiros. Então, fiquei muito surpresa quando vi que seria lançado um filme sul-coreano aqui no Brasil.

No começo fiquei receosa de que o filme fosse como aqueles típicos filmes asiáticos em que o protagonista dá voadoras no ar, tem armas cujas balas nunca acabam e matam 6 pessoas com um “sapateado” no ar.

Mas, até certo ponto, me enganei ao assistir A vilã.

o filme conta a estória da Sook-Hee, uma mulher que foi criada desde sempre para ser uma assassina profissional e que, após se vingar da pessoa que matou seu pai quando ela era ainda uma criança, foi “selecionada” para uma agência secreta, com uma chefe misteriosa. O trato era simples: ela seria treinada para ser ainda melhor, cumpriria uma missão e seria libertada para viver sua vida normalmente.

O passado de Sook-Hee, contudo, não deixa que ela se sinta livre para viver sua vida. Ela vive ainda em busca de terminar sua vingança.

Na primeira cena me senti meio zonza. A câmera fica em primeira pessoa, como se estivesse num jogo de video-game.

O filme é recheado, sim, de muita ação, violência, tiro, porrada (não muitas bombas), mas o que me chamou mais atenção foi a quantidade de sangue. Era um verdadeiro banho a cada confronto. Bem no estilo Tarantino, sabe? Pois é.

O enredo não é memorável, mas não é ruim. Você vai se lembrar mais da ação e do sangue do que do que acontece na estória. Há momentos, inclusive, em que se você piscar, vai se sentir perdido em relação ao que está acontecendo, o que não é bom.

Mas eu torci muito pela protagonista e fiquei agoniada com o tanto que ela sofre. E fica bem evidente que vida normal não existe no vocabulário de Sook-Hee.

Confiram o trailer! Assistam ao filme!

COMENTAR