Resenha: Não Conte a Ninguém – Harlan Coben

0
8431

“A tragédia é pessoal. Ela fica gravada na alma. A gente deixa de ser feliz. Mas se transforma numa pessoa melhor.”

Olá leitores do Sobre Livros! Ahhh se arrependimento matasse! Não Conte a Ninguém é o tipo de livro que faz diferença na vida da gente, e me arrependo por não ter me enveredado por essa história antes.

O livro foi escrito pelo simpaticíssimo Harlan Coben, que abusou de seu carisma na bienal de São Paulo 2014 – e olha que teve fã pedindo para beijar a careca dele e ele permitiu! Atualmente Coben mora em Nova Jersey com a esposa e os quatro filhos.

Não Conte a Ninguém é do gênero policial, em que acompanhamos a narrativa com o coração acelerado tentando compreender uma teia de acontecimentos e descobrir quem é o meliante. E esse livro tem um “toque a mais”, pois já no início do livro temos nosso coração destroçado.

David Beck e sua esposa estão comemorando seu aniversário de casamento em um lago na antiga propriedade da família Beck quando são brutalmente ameaçados. Beck é deixado para morrer e Elizabeth foi sequestrada e morta por um serial killer.

É impossível não se apegar a esse casal, mesmo que tenhamos o acompanhado pela brevitude das primeiras páginas. Tudo neles inspira romantismo e doçura, e quando essa tragédia abate na vida de Beck nos sentimos tão desamparados quanto ele.

Beck tenta seguir a sua vida, ele é médico pediatra e se dedica a população mais carente. Mais uma vez, fica impossível ao leitor não torcer pela felicidade desse doutor de coração bondoso e gentil. Ele já presenciou muitas cenas dramáticas em sua carreira e tenta se manter distancia, mas fica óbvio que ele é um homem decente.

Sua vida segue, tentando sublimar a dor de perder o grande amor de sua vida. Até que algo surpreendente acontece bem no dia em que completariam mais um ano do primeiro beijo…

Através de e-mails anônimos, alguém tenta fazer contato com Beck. Usando enigmas e informações que somente uma pessoa saberia: sua esposa morta. Beck entra em colapso, não sabendo se esse contato é feito por alguém mal intencionado, brincando com sua dor ou se existiria mesmo a chance de ser Elizabeth.

Enquanto seu coração e mente são golpeados com esse mistério, a polícia encontra dois corpos não muito distantes do lago em que Beck e Elizabeth foram agredidos. A polícia desconfia que Beck pode ter alguma coisa relacionada com esses assassinatos, então reabre o caso de Elizabeth para novas investigações.

A partir daí, meus caros leitores, somos engolfados por um turbilhão de acontecimentos e descobertas de tirar o fôlego! Não consegui interromper a leitura, lendo o livro em uma única noite. O autor nos conduz numa viagem alucinante, e nada é como deveria ser.

A cada nova informação, a cada nova descoberta temos nossos sentimentos revirados e a ânsia de finalmente compreender o que aconteceu de fato naquele aniversário nos atormenta.

Personagens críveis cheios de personalidade, uma narrativa aprazível e um enredo frenético torna Não Conte a Ninguém um dos meus livros favoritos.

Esta é uma publicação da Editora Arqueiro, apreciei muito a capa, as páginas são amareladas e a revisão adequada. Não gostei da diagramação, o tamanho da fonte é muito pequena e se não fosse pela narrativa inebriante, é bem possível que a leitura se tornasse cansativa.

Indico a leitura veementemente aos amantes de literatura policial e para aqueles que gostam de uma belíssima história de amor. Vale a pena deixar Harlan Coben embalar seu coração. Boa leitura!

COMPARTILHAR
Artigo AnteriorValerian | Adaptação ganha trailer final
Próximo ArtigoCrítica e Criação Literária #34: Cronologia
Laila Ribeiro é mestra em Escrita Criativa pela PUCRS; pós-graduada em Gestão Empresarial, em Gestão Pública e MBA em Gestão de Recursos Humanos; graduada em História pela PUC Minas (2014) e em Administração Geral e Agroindustrial pela Universidade Presidente Antônio Carlos (2007). Atualmente, é membro da equipe do site literário Sobre Livros (www.sobrelivros.com.br), e mantém o canal literário https://www.youtube.com/c/ribeirolaila. Participou de antologias de contos (Insanas - Elas Matam!, Onisciente Contemporâneo, Translações Singulares e Não Culpe o Narrador) e, em 2016, foi monitora da Oficina de Criação Literária do professor e escritor Luiz Antonio de Assis Brasil.

COMENTAR