It, a coisa – A aterrorizante adaptação

0
561

Olá leitores do Sobre Livros!! Finalmente, depois de um longo e tenebroso inverno aguardando pude assistir o tão aclamado It, a coisa! Não foram poucas as vezes que divulgamos cartazes, trailers aqui no Sobre Livros. Agora chegou o momento de dizer a vocês que não assistiram o que esperar e quem assistiu poder comentar aqui o que achou e quais pontos concorda ou não comigo.

Antes de começar, uma confissão: Nunca gostei muito de filmes de terror. Sempre os achei engraçados, não aterrorizantes. Até It. Enquanto o que tinha pra assistir eram trailers fiquei receosa de que fosse uma espécie de propaganda enganosa e achá-lo mais uma comédia do que terror.

O que me surpreendeu, contudo, é que o filme é, sim, engraçado, mas de uma forma positiva. Piadas soltas ao longo da estória aliviam o terror e distraem o telespectador, para logo em seguida quase o matar de susto.

Você realmente não consegue escapar do medo. Fiquei apavorada com a possibilidade de acontecer algo de ruim com as crianças e lamentei muito quando coisas ruins realmente aconteceram.

Destaque para o ator Bill Skarsgaard, que interpreta o aterrorizante Pennywise, vou ainda passar um tempo vendo-o nos meus pesadelos e vou recear entrar em lugar escuro ou com buracos na parede (cuidado com os esgotos, gente!) As crianças do Grupo de perdedores também são um caso à parte!

Vale destacar que tanto nos Estados Unidos quanto aqui no Brasil, o filme estreou em primeiro lugar, sendo que lá fora chegou a arrecadar em seu primeiro fim de semana cerca de R$100 milhões de dólares, segundo o site Omelete e está entre as cinco maiores bilheterias de terror DE TODOS OS TEMPOS, numa lista que conta com 1 – O exorcista, 2- Corra!, 3- A bruxa de Blair, 4- Invocação do mal. 

Mas, então, você me pergunta: E em comparação ao livro? Ficou bom! Há quem tenha receado que a adaptação não fosse ficar boa, tendo em vista que são mais de 1.000 páginas encaixadas em 2 horas e 15 minutos de filme. Contudo, não acho que tenha deixado a desejar. Claro que, para quem não leu, indico ler antes, mas… se a curiosidade prevalecer, nada impede de assistir e depois complementar a imaginação com os restantes das páginas do livro. Não será perda de tempo – contrariamente ao que passei após ler o primeiro livro de A torre negra e ir ao cinema pra ver uma cena do livro em todo o filme.

O que não pode acontecer é não ler e nem assistir. Essa obra-prima da literatura, e agora do cinema, tem que fazer parte da vida de todos, ainda que sejam momentos aterrorizantes! Você vai flutuar tb!

COMENTAR